domingo, 7 de fevereiro de 2016

DUALIDADE

Lá fora, um tom funéreo, cinza, inunda
a paisagem exótica, dual!
Enquanto que se tange todo o mal,
dessa intrínseca imagem moribunda,

que ao meu ver agora se afunda,
nesse luxuriante ritual.
Subo às pressas para ir à catedral,
e u'a devassa mulher, mostrando a bunda,

aproxima-se cheia de manha...
Minha libido, nesse instante, se assanha,
mas não dou bola para isso... Afinal,

ainda temos pela frente o ano inteiro,
estamos só vivendo fevereiro,
o mês radiante do carnaval!

Miguel de Souza 

Nenhum comentário:

Postar um comentário